Saúde

Jejum intermitente: saiba o que é e como fazer

Janeiro 7, 2019
Tempo de leitura 2 min

Um hábito muito antigo e tornou-se um dos temas mais comentados quando o assunto é emagrecimento e da boa forma. Normalmente, são indicadas entre 12 horas de jejum intermitente, que pode ser realizado semanalmente ou em dias específicos.

Apesar de trazer benefícios para a saúde, essa prática não é indicada para todos. Por isso, é preciso ter atenção aos cuidados especiais com o jejum intermitente e saber quem pode ou não adotá-lo. Para saber mais, continue a leitura e tire suas dúvidas sobre o assunto!

Conheça os tipos de jejum intermitente

Jejum de 12 horas

Esse é o jejum mais usual e você deve passar metade do dia sem se alimentar — o que inclui as horas de sono. As suas refeições principais devem ser realizadas ao longo do dia. Por exemplo, permanecer das oito horas da noite até as oito da manhã sem se alimentar.

Jejum de 16 horas

Esse jejum mais extenso é chamado de sistema leangains e foi desenvolvido pelo sueco Martin Berkh. Você deve realizar as refeições nas oito horas finais do seu dia — a chamada janela de alimentação. É importante que, nesse momento, sejam escolhidos alimentos saudáveis para não comprometer seu jejum intermitente.

Jejum de 24 horas

Esse tipo é mais conhecido como o “coma-pare-coma” e consiste em um intervalo de jejum durante um dia inteiro, em uma ou duas vezes na semana. Por exigir uma adaptação maior, é recomendado que você se alimente de fibras e outros alimentos ricos antes de começar o jejum. Água, café, chá e outras bebidas (sem adoçar) são liberadas ao longo desses processos, o que não vale são os sólidos.

Saiba quem pode e quem não pode realizar o jejum intermitente

De forma geral, aqueles que fazem um acompanhamento nutricional e têm uma alimentação saudável e\ou os que nunca tiveram sucesso com outros métodos de emagrecimento, podem praticar esse jejum.

Além disso, as pessoas que se sentem forçadas quando precisam comer de três em três horas também entram no grupo dos que podem adotar a estratégia nutricional, desde que acompanhadas por um profissional capacitado.

Crianças, gestantes, pessoas anêmicas e quem faz uso de remédio controlado têm o método contraindicado, além daqueles que apresentam frequentes crises de enxaqueca, insuficiência renal e problemas no sistema imunológico.

O jejum intermitente contribui para a saúde do corpo, para o bom funcionamento do cérebro, para o emagrecimento e até para ajudar você a viver melhor e por mais anos. Porém, esse tipo de hábito exige certos cuidados que só um médico ou nutricionista pode orientar. Por isso, procure um profissional capacitado.

Este post foi útil para você? O que você pensa sobre o jejum intermitente? O que acha de compartilhar este artigo nas redes sociais e conversar com seus amigos sobre o assunto?

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário

Scroll Up