Papilotomia endoscópica: tratamento para doenças das vias biliares

 

Dores abdominais, diminuição do apetite, perda de peso, fadiga, pele com coloração amarelada e alterações nas fezes e na urina podem ser sinais de doenças nas vias biliares. Quem sofre com esses sintomas deve ficar atento, mas é importante não se desesperar. Felizmente, tratamentos eficazes e acessíveis, como a papilotomia endoscópica, estão disponíveis e podem resolver esse problema.

De modo geral, as doenças das vias biliares estão associadas a alguns fatores de risco, principalmente alimentação com excesso de gordura, sal e açúcar, sedentarismo e obesidade.

Quer saber mais sobre doenças das vias biliares e o tratamento por meio da papilotomia endoscópica? Continue a leitura e saiba mais sobre esse procedimento e o que considerar no momento de escolher uma clínica para realizá-lo.

O que são doenças das vias biliares?

São doenças dos canais que levam a bile do fígado até o intestino. A bile, ou suco biliar, é um fluido produzido pelo fígado e armazenado pela vesícula biliar. Ela atua na emulsificação de gorduras no intestino, um processo necessário para a boa digestão dessas substâncias.

Quais são as principais?

As principais enfermidades nas vias biliares são a formação de cálculos — também conhecidos como pedras —, colangite, estenoses e doenças neoplásicas.

Coledocolitíase

A coledocolitíase consiste na formação ou presença de cálculos no interior dos ductos que transportam a bile. Cálculos biliares são depósitos duros, que se formam dentro da vesícula biliar. Eles podem variar em tamanho e em quantidade dependendo da pessoa.

A constituição desses cálculos pode variar — alguns tipos podem ser compostos de colesterol não dissolvido, enquanto outros contêm até mesmo bilirrubina, um composto produzido a partir das hemácias do sangue.

Essas pedras podem causar diversas complicações, como cólicas, obstrução da passagem da bile, pancreatite biliar ou, até mesmo, infecção nas vias biliares.

Colangite

Consiste na infecção e na inflamação dos ductos biliares. Em geral, esse quadro clínico pode gerar estases, que é a estagnação de fluido no canal, e estenoses.

Estenoses

A estenose é um estreitamento anormal de um conduto, como as vias biliares.

Câncer

O câncer é um tipo de doença neoplásica e é o caso mais temido por muitos pacientes. De modo geral, a neoplasia é a proliferação descontrolada de células em uma determinada região do corpo.

Câncer é o nome atribuído à neoplasia maligna. Sua causa depende de inúmeros fatores genéticos e sociais, e o seu tratamento pode resultar em outras complicações. Felizmente, o câncer das vias biliares não é o mais comum entre os brasileiros.

Quais são os tratamentos mais recomendados?

Após a identificação dos primeiros sintomas, é imprescindível que o paciente consulte um médico especialista. O paciente nunca deve se automedicar, pois a ingestão descontrolada de medicamentos pode resultar em diversos efeitos colaterais.

Para que o diagnóstico possa ser feito, o profissional responsável deverá realizar exames, como a ultrassonografia, a tomografia computadorizada, a ressonância magnética e a ecoendoscopia. Para a doença mais comum, que é a coledocolitíase, o tratamento menos invasivo é a papilotomia endoscópica.

O que é papilotomia endoscópica?

A papilotomia endoscópica é um procedimento cirúrgico que consiste na abertura do canal biliar por meio de um equipamento endoscópico. Essa técnica é utilizada para a captura ou extração dos cálculos, mas também é eficiente em casos de estreitamento das vias, de modo que se possa colocar próteses ou outros equipamentos expansíveis no ducto.

Como esse tratamento funciona?

Nesse tipo de papilotomia, utiliza-se um aparelho endoscópico diferente daqueles usados na endoscopia tradicional. Ele contém dispositivos específicos para a retirada das pedras, evitando, na maioria das vezes, a realização de procedimentos mais invasivos, como a cirurgia.

Contudo, ainda existem alguns riscos associados, como perfuração ou sangramento do intestino delgado. Caso haja algum erro, a realização de uma cirurgia para corrigir o problema pode ser necessária.

Quais sintomas podem indicar a necessidade de uma papilotomia?

De modo geral, dores intensas na parte alta e à direita do abdômen e, na maioria das vezes, irradiando para as costas. Outros sintomas são o aparecimento de colúria — urina escura —, icterícia — olho amarelado — e febre com calafrios.

Caso o tratamento não seja realizado a tempo, o quadro pode se agravar com o desenvolvimento de estenoses e câncer das vias biliares e/ou pancreáticas, por exemplo.

O que considerar no momento da escolha da clínica para a realização do procedimento?

Antes de escolher a clínica, é importante atentar-se para a formação e para a experiência do médico que realizará o procedimento. Apenas cerca de 5% dos endoscopistas são habilitados a realizar procedimentos endoscópicos avançados nas vias biliares, como a papilotomia endoscópica.

A habilidade do especialista é um fator crucial para o sucesso do tratamento, uma vez que pequenos erros podem causar complicações sérias que necessitam de cirurgias.

Quando o procedimento é executado por uma equipe habilitada, a taxa de sucesso chega a ser de 90 a 95%, com resultado similar ao da cirurgia tradicional. Porém, a papilotomia endoscópica pode causar menos complicações, como infecções e sangramento.

Além disso, recomenda-se que o paciente leve em conta a infraestrutura do hospital e a presença de uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) de suporte.

A papilotomia endoscópica é um procedimento pouco invasivo que pode ser usado no tratamento de diversas doenças das vias biliares. O mais comum é em casos de coledocolitíase, ou seja, em que há entupimentos dos ductos por um cálculo ou pedra.

Quando bem realizada, esse tipo de endoscopia tem altas chances de sucesso, com poucas complicações e recuperação rápida. Para que isso aconteça, o paciente deve estar atento à qualidade do hospital e à experiência dos profissionais encarregados.

Contudo, a melhor opção diante de quadros como esse é a prevenção. Para isso, tenha uma alimentação saudável, pratique atividades físicas regularmente e faça exames de check-up com frequência. Hábitos como esses evitam o aparecimento de enfermidades e melhoram a qualidade de vida e o bem-estar do paciente.

Agora que você sabe mais sobre o processo da papilotomia endoscópica, entre em contato com a gente para conhecer as nossas instalações e os nossos profissionais. Basta acessar a nossa página!

 

Dr. Daniel Dutra    CRM – 3684/PI

Cirurgia Geral, Gastroenterologia, Endoscopia, Ecoendoscopia

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.